Bacharelado em Teologia

Em continuidade com a secular tradição capuchinha de ensino teológico e com os 18 anos de experiência na Escola Superior de Teologia e Espiritualidade Franciscana, a ESTEF, através do Curso de Teologia, se propõe a:

  • Formar bacharéis em teologia para a atuação em atividades específicas do âmbito religioso e na construção de uma sociedade mais humana e cristã;
  • Integrar o estudo acadêmico dos conteúdos da fé cristã com a dimensão pessoal da experiência de fé, a vivência comunitária e o compromisso social;
  • Possibilitar um processo de formação a agentes sociais e eclesiais oportunizando condições de  atualização e aprofundamento teológico, pastoral e espiritual;
  • Estimular o desenvolvimento do espírito científico e a produção teológica através do aprofundamento dos conteúdos da fé cristã-católica em diálogo com outras tradições cristãs, outras religiões e as ciências;
  • Propiciar um espaço de estudo e cultivo da tradição teológica e espiritual franciscana.

COORDENADORES

  • Professor Dr. Vanildo Luiz Zugno

Sobre o CUrso

A Teologia como estudo de preparação ao ministério sacerdotal, no âmbito da Igreja Católica Romana, está presente no Rio Grande do Sul há mais de um século e sempre com marcada presença franciscano-capuchinha. Os Frades Menores Capuchinhos, chegados da França há oito anos apenas, assumem em 1903 a direção e a docência filosófica e teológica no Seminário Diocesano de Porto Alegre. Ao mesmo tempo, atendendo às necessidades da formação de seus próprios candidatos brasileiros e de estudantes capuchinhos que chegavam da França, iniciaram, em Garibaldi, um curso próprio de Teologia.

As Semanas Acadêmicas, palestras, debates, congressos e outras atividades realizadas no âmbito da Escola mas abertos a toda a comunidade são um outro modo pelo qual a comunidade teológica marca uma presença significativa no âmbito da Vida Religiosa, da Igreja e da sociedade.
Em todo este período, o título de Bacharel em Teologia era conferido nos termos do Decreto-Lei 1.051/69 como Curso Livre de Teologia.

O Parecer CES/CNE nº 505/99, de 19/05/99 modificou a situação legal dos Cursos de Teologia reconhecendo os Cursos de Bacharelado em Teologia como curso de graduação. O fundamento para tal foi encontrado no Parecer n.º 241/99, de 15/03/99, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação a qual admite que O Estado não pode impedir ou cercear a criação desses Cursos (Bacharelado em Teologia).

Segundo o relator do referido Parecer (CES/CNE nº 505/99, de 19/05/99), o não reconhecimento oficial dos cursos de Teologia como cursos Superiores priva os seus estudantes – ministros religiosos ou não – dos direitos e privilégios concedidos legalmente aos profissionais formados em outras áreas. É, portanto, de todo recomendável que esta situação discriminatória seja corrigida.

Para operacionalizar este propósito, o currículo se organiza em torno a três eixos: o teológico, o prático-pastoral e o auxiliar.

O Eixo Teológico busca colocar os elementos fundamentais da fé cristã-católica e se organiza em torno a quatro núcleos aglutinadores que perpassam as diversas áreas do conhecimento teológico:

  • Núcleo Introdutório que tem como objetivo colocar os fundamentos das diversas áreas do conhecimento teológico;
  • Núcleo Trinitário que tem como objetivo colocar os conteúdos fundamentais da teologia cristã;
  • Núcleo Eclesiológico que reflete sobre a vivência na comunidade cristã dos conteúdos da fé;
  • Núcleo Antropológico que reflete sobre as dimensões antropológicas, pessoais, comunitárias e sociais, da experiência cristã de fé.

A prática pastoral e a reflexão sobre esta prática, presente em todas as disciplinas, mas de modo especial nas disciplinas do eixo prático-pastoral, proporciona, no decorrer de todo o desenvolvimento do currículo, a ligação com a realidade social e eclesial do qual provém, vive e se direciona o/a estudante de Teologia.
As disciplinas auxiliares têm como objetivo propiciar o diálogo da teologia com as demais áreas do conhecimento.

A integração destes três eixos dá ao curso sua identidade cristã-católica ao mesmo tempo que o mantém permanentemente em diálogo com a realidade eclesial e social e abre possibilidades de diálogo com as outras áreas do conhecimento.
Considerando as mudanças, tanto no âmbito eclesial como no social, cultural, político e econômico e a necessidade de, enquanto pessoas de fé, dar uma resposta, tanto teórica como práticas, às novas situações, a ESTEF se propõe a formar Bacharéis em Teologia com uma visão humana, cristã e eclesial aberta e em diálogo com o mundo moderno e capazes de propor alternativas aos desafios da sociedade e do mundo desde a perspectiva da fé cristã.

O Bacharel em Teologia egresso da ESTEF estará habilitado a desenvolver atividades de pesquisa e pastoral na área religiosa, desenvolvendo trabalhos em Comunidades Pastorais e educativas. Neste sentido, o egresso do Curso de Teologia deve ser capaz de:

  • Compreender o fenômeno religioso e suas manifestações no decorrer da história e no presente;
  • Refletir, com fundamento e organicidade, sobre os conteúdos fundamentais da fé cristã-católica;
  • Analisar teologicamente a realidade que o cerca;
  • Pesquisar e desenvolver produção na área teológico-pastoral;
  • Integrar as dimensões da fé, da razão e da experiência eclesial e pessoal em uma síntese própria que dê sentido à vida, à pertença à Igreja e à cidadania;
  • Planejar e executar ações que levem à transformação da Igreja e da sociedade;
  • Dialogar e interagir com outras expressões religiosas num espírito de diálogo e ação ecumênica e inter-religiosa.

Segundo o Parecer CES/CNE nº 241/99, de 15/03/99, o Estado deve evitar a regulamentação do conteúdo do ensino, respeitar plenamente os princípios da liberdade religiosa e da separação entre Igreja e Estado, permitindo a diversidade de orientações para os Cursos de Bacharelado em Teologia.
Contudo, se tal parecer evita a regulamentação dos conteúdos de ensino e privilegia a diversidade de orientações, nossos parâmetros para projetar o Currículo do Curso de Bacharel em Teologia são oriundas da Lei de Diretrizes e Bases, Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996, e do Roteiro de Avaliação dos Cursos de Teologia, para fins de autorização do Ministério de Educação e Cultura.

Segundo esse documento, a Carga horária curricular deve contemplar um mínimo de 40% de disciplinas teológicas obrigatórias, 20% de disciplinas teológicas opcionais e 20% de disciplinas auxiliares .
Considerando que não há documentação legal que registre a obrigatoriedade de disciplinas, compreendemos que as ditas disciplinas teológicas obrigatórias correspondem a disciplinas de conhecimento específico deste campo do saber. Distribuídas por Núcleo Temático são as seguintes disciplinas:

  • do Núcleo Introdutório: Êxodo a Deuteronômio e Históricos; Literatura Profética; Teologia Fundamental I; Teologia Fundamamental II; Liturgia Fundamental; Moral I; Moral II;
  • do Núcleo Trinitário: Evangelhos Sinóticos; Literatura Joanina; Cristologia; Trindade; Moral III; Moral IV; Patrística;
  • do Núcleo Eclesiológico: Atos dos Apóstolos e Cartas Paulinas; Cartas Pastorais, Católicas e Hebreus; Eclesiologia; Sacramentos; Ecumenismo e Diálogo Inter-religioso;
  • do Núcleo Antropológico: Gênesis e Apocalipse; Literatura Sapiencial; Escatologia e Criação; Teologia da Graça; Espiritualidade e a optativa História e Espiritualidade do Movimento Franciscano.

Por disciplinas auxiliares entendemos as disciplinas que possibilitam o diálogo entre as diversas áreas do saber teológico e deste com outros campos de saber e com a prática pastoral. São disciplinas auxiliares: Síntese Teológica; Metodologia da Pesquisa e da Produção Teológica; Trabalho de Conclusão de Curso; História I; História II; História III; História IV; Introdução ao Direito Canônico; Teologia Feminista; e as optativas: Fenômeno Religioso; Sociologia da Religião; Psicologia da Religião; Questões Específicas de Direito Canônico; Leitura de Textos Patrísticos e Medievais; Teologias do séc. XX; Questões emergentes de Teologia; Língua Brasileira de Sinais.
As disciplinas Prático-pastorais são: Pastoral Fundamental; Estágio Pastoral I; Estágio Pastoral II e as optativas Liturgia Sacramental; Organização e Administração da Ação Pastoral; Catequese e Missiologia e Educação para a Comunicação.

O conjunto das disciplinas busca a formação de agentes sociais e eclesiais e pesquisadores nas áreas do Fenômeno Religioso e da Teologia, capacitando o profissional para desenvolver pesquisas e atividades pastorais e sociais. Estas disciplinas propõem-se estudar, realizar e executar projetos de prática pastoral e apresentar relatórios conforme os padrões científicos. Associam pesquisa-ensino-extensão, integrando os conhecimentos específicos às áreas afins e utilizando-se de diferentes técnicas de ensino, como aulas teóricas, aulas práticas, pesquisa bibliográfica e de campo, bem como integração com as demais áreas do conhecimento.

Junto com as disciplinas, as Atividades Complementares também visam esta integração tornando-a presente todo ao longo do Curso. Serão, deste modo, estimuladas atividades acadêmicas flexíveis tais como seminários, intercâmbio acadêmico, participação em eventos, atividades acadêmicas à distância, oficinas, iniciação à pesquisa, monitorias, atividades de extensão comunitária e social, publicação de artigos em revistas teológicas e pastorais ou comunicações em eventos de cunho cientifico na área teológica ou afins. As Atividades Complementares também servirão para suprir lacunas na formação pregressa dos estudantes auxiliando assim no nivelamento dos ingressados no Curso. As Atividades Complementares serão reguladas pelo Colegiado de Curso.

Aos ingressados no Curso que não tiveram anteriormente formação na área das Ciências Humanas será oferecido um acompanhamento pessoal no primeiro semestre após o ingresso.

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO
Baixar

EMENTÁRIO

Carga horária: 60 h
 
Ementa: Teologia: conceito, objetivo e níveis. Teologia e método. Lugares Teológicos. Enfoques teológicos recentes. Teologia Feminista. Teologia Negra e ameríndia. Teologia Ecológica. Teologia do pluralismo religioso. Teologia Quer. Divisão da teologia e suas articulações.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BOFF, Clodovis. Teoria do método teológico. Petrópolis: Vozes, 1999.

GEFFRÉ, Claude. Como fazer teologia hoje: Hermenêutica teológica. São Paulo: Paulinas, 1989.

LIBÂNIO, João Batista; MURAD, Afonso. Introdução à teologia: perfil, enfoques, tarefas. São Paulo. Loyola, 1996.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ALSZEGHY, Zoltán; FLICK, Maurizio. Como se faz teologia. São Paulo: Paulinas, 1979.

BOFF, Leonardo; BOFF, Clodovis. Como fazer teologia da libertação. Petrópolis: Vozes, 1986.

GUTIERREZ, Gustavo. Teologia da libertação. Petrópolis: Vozes, 1979.

RITO, Honório. Introdução à Teologia. Petrópolis: Vozes, 1998.

TEIXEIRA, Faustino. Teologia das Religiões: Uma visão panorâmica. São Paulo: Paulinas, 1995.

Carga horária: 60h/a
 
Ementa: Introdução geral ao Primeiro Testamento. A Toráh ou Pentanteuco com ênfase no relato do Êxodo (Êx 1-15) e seu contexto histórico como acontecimento fundante da fé de Israel. A ligação teológica e histórica entre o Deuteronômio e a Obra Historiográfica Deuteronomística. A ligação entre a sistematização sacerdotal final do Pentateuco (especialmente o Código Sacerdotal e o Levítico) e a Obra Historiográfica Cronística (dentro do contexto histórico do pós-exílio persa). Os livros de Macabeus e o pós-exílio grego.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

GOTTWALD, Norman. Introdução Socioliterária à Bíblia Hebraica. São Paulo: Paulinas, 1988.

CERESKO, Anthony R. Introdução ao Antigo Testamento: numa perspectiva libertadora. São Paulo: Paulus, 1996.

ANDIÑACH, Pablo R. O livro do Êxodo: um comentário exegético-teológico. São Leopoldo: Sinodal, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CROATTO, Severino. Êxodo: uma hermenêutica da liberdade. São Paulo: Paulinas, 1981.

STORNIOLO, Ivo. Como ler o livro do Levítico: formação de um povo santo. São Paulo: Paulus, 1995.

DREHER, Carlos A. A formação social de Israel pré-estatal. São Leopoldo: CEBI, 1986.

OLIVA, Alfredo dos Santos. Como ler o livro de Esdras e Neemias: a fé em Deus vem antes da política. São Paulo: Paulus, 1999.

Carga horária: 60h
 
Ementa: A história da Moral cristã: evolução, mudanças, crises e perspectivas. A ciência moral. A natureza ética do ser humano. O método interdisciplinar de fazer moral. Os valores e as normas. A ética pessoal com seus recursos. A soberania da consciência. A dimensão religiosa da ética. A liberdade cristã. A moral do crescimento permanente. A condição decadente do ser humano. Pecado, reconciliação, conversão e virtudes.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

AGOSTINI, Nilo. Introdução à Teologia Moral: o grande SIM à vida. Petrópolis: Vozes, 2004.

BOFF, Leonardo. Ética e Moral: a busca dos fundamentos. Petrópolis: Vozes, 2003.

LÓPEZ AZPITARTE, E. Fundamentação da Ética cristã. São Paulo: Paulus, 1995.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

JUNGES, José Roque. O Evento Cristo e a Ação Humana. Temas fundamentais de ética teológica. São Leopoldo: Unisinos, 2001.

MAJORANO, Sabatino. A Consciência: uma visão cristã. São Paulo: Santuário,2000.

MOSER, Antônio; LEERS, Bernardino. Teologia Moral: impasses e alternativas. Petrópolis:Vozes, 1985.

O´NELI, J. Kevin – BLACK, Peter. Manual Prático de Moral – Guia para a vida do católico. São Paulo: Santuário, 2007.

VIDAL, Marciano. Nova Moral Fundamental: o lar teológico da ética. Aparecida: Santuário, 2003.

Carga horária: 120h
 
Ementa: A ação evangelizadora eclesial no contexto atual de crise e mudanças. A evangelização. Diferentes modelos de ação pastoral-evangelizadora. Diferentes metodologias de planejamento pastoral. A tradição pastoral latino-americana. Novos desafios pastorais. Elaboração de um projeto de ação pastoral (Prática pastoral). Elaboração de relatório de prática pastoral.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BRIGHENTI, Agenor. A Pastoral dá o que Pensar: a inteligência da prática transformadora da fé, São Paulo/Valencia: Paulinas/Siquem, 2006.

CELAM. Documento de Aparecida. Brasília/São Paulo: CNBB/Paulus/Paulinas, 2007.

RAMOS, Julio A. Teología Pastoral. 3ed. Madrid: BAC, 2001.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BENINCÁ, Elli – BALBINOT, Rodinei. Metodologia Pastoral. Mística do discípulo missionário. São Paulo: Paulinas, 2009.

BRIGHENTI, Agenor. A Igreja perplexa. As novas perguntas, novas respostas. São Paulo: Paulinas/SOTER, 2004.

_______. Reconstruindo a esperança. Como planejar a ação da Igreja em tempos de mudança. 3ed. São Paulo: Paulus, 2000.

CELAM. Conclusões da Conferência de Medellín. 2ed. São Paulo: Paulinas, 2004.

ESTEF. Método Teológico-Pastoral. Mediação Sócio-Analítica, Mediação hermenêutica e Mediação Prática. Instrumental dos Estágios de Pastoral, 6ed. Porto Alegre: ESTEF, 2007.

Carga horária: 60h
 
Ementa: A Teologia como ciência. A metodologia da pesquisa teológica. A construção de um projeto de pesquisa. A produção de conhecimento teológico.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ECO, Umberto. Como se faz uma tese. 2ed. São Paulo: Perspectiva, 1985.

LIBÂNIO, João Batista. Introdução à Vida Intelectual. 2ed. São Paulo: Loyola, 2001.

ZAMPIERI, Gilmar. Normas técnicas para a apresentação de trabalhos científicos. 2ed. Porto Alegre: ESTEF, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR (cf. O trabalho de cada estudante)

Carga horária: 60h
 
Ementa: Surgimento da Profecia em Israel e sua relação com os povos vizinhos. O Contexto histórico da literatura profética. Exegese de textos seletos dos livros dos profetas pré-literários e literários nas diferentes épocas pré-exílica, exílica e pós-exílica da história de Israel.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AMSLER, S. Os profetas e os livros proféticos. São Paulo: Paulus, 1992.

SCHÖKEL, Luis A.; SICRE, José L. Profetas. São Paulo: Paulus, 1991.

WILSON, R.R. Profecia e Sociedade no Antigo Israel. São Paulo: Paulinas, 1993

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CROATTO, José S. Isaías 1-39. O profeta da justiça e da fidelidade. Petrópolis: Vozes, 1989.

GONZALES, Angel; LOHFINK, Norbert; RAD, Gerhard von. Profetas verdaderos, profetas falsos. Salamanca: Sígueme, 1976.

LOHFINK, Norbert. Profetas ontem e hoje. São Paulo: Paulinas, 1979.

SICRE, José L. Profetismo em Israel: o profeta, os profetas, a mensagem. Petrópolis: Vozes, 1996.

SCHWANTES, Milton. A terra não pode suportar suas palavras. Reflexão e estudo sobre Amós, São Paulo: Paulinas, 2004

Carga horária: 60h
 

Ementa: A problemática da revelação cristã no complexo universo religioso: a volta do sagrado; a religiosidade popular e as manifestações de Deus. A revelação no atual momento teológico: revelação e experiência; a história como lugar da revelação; revelação e condicionamento cultural. A Sagrada Escritura e a Revelação: inspiração e inerrância. Revelação no Antigo Testamento e no Novo Testamento. A Revelação nos Santos Padres, na Dei Verbum e na perspectiva latino-americana.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

DUPUIS, Jacques. Rumo a uma teologia cristã do Pluralismo Religioso. São Paulo: Paulinas, 1999.

LIBANIO, João B. Teologia da Revelação a partir da modernidade. São Paulo: Loyola, 1992.

TORRES QUEIRUGA, Andrés. A Revelação de Deus na realização humana. São Paulo: Paulus, 1995.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

MYSTERIUM SALUTIS. Teologia Fundamental. Conceito de História e Revelação. Petrópolis: Vozes, 1971. Vol. 1/1.

COMPÊNDIO do Vaticano II. 29 ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

LATOURELLE, René. Teologia da Revelação. 3ed. São Paulo: Paulinas, 1985.

LIBÂNIO, J. B. Introdução à Teologia Fundamental. São Paulo. Paulus, 2015.

SCHILLEBEECKX, Edward. História Humana. Revelação de Deus. São Paulo: Paulus, 1994.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Conceituações sobre liturgia. A liturgia na Escritura e na História. Celebração do mistério da salvação – memorial da Páscoa-, Assembleia litúrgica sujeito da ação celebrativa. Dimensões e formas celebrativas. Elementos constitutivos da ação litúrgica: Palavra de Deus, oração, canto e música, gestos e símbolos, espaço celebrativo, silêncio. Ano Litúrgico. Espiritualidade litúrgica. Pastoral litúrgica.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BECKHÄUSER, A. Celebrar a Vida Cristã, 8 ed. Petrópolis: Petrópolis. 1984.

BOROBIO, D. Celebração na Igreja. São Paulo: Loyola, 1993.Vol I.

MARTÍN, J. Lopez. Liturgia da Igreja: teologia, história, espiritualidade e pastoral. São Paulo, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AUGÉ, Matias. Liturgia: História, celebração, teologia, espiritualidade. São Paulo. Ave Maria, 1996.

BUYST, Ione; DA SILVA, J. Ariovaldo. Mistério Celebrado: memória e compromisso. Valência: Siquem, 2006.

LUTZ, Gregório. Como Estudar Liturgia: princípios de ciência litúrgica. São Paulo: Paulus, 1990.

CELAM. A celebração do Mistério Pascal. São Paulo: Paulus, 2004. Vol. I

CELAM. Manual de Liturgia I: A celebração do Mistério Pascal. São Paulo: Paulus, 2004.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Visão histórica e realidade do comportamento sexual. A Antropologia e a Teologia subjacentes à Moral sexual. Princípios e critérios éticos. O comportamento sexual: o ato conjugal, relações pré-matrimoniais, masturbação, homossexualidade. Visão histórica da instituição familiar. A dimensão amorosa e procriativa do ato conjugal. A procriação responsável. Os métodos de controle de natalidade. A instituição matrimonial. A indissolubilidade do matrimônio. As situações irregulares. A pastoral familiar.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

AZPITARTE, Eduardo López. Ética da sexualidade e do matrimônio. São Paulo: Paulus, 1997.

CONSELHO PONTIFICIO PARA A FAMILIA. Sexualidade Humana: Verdade e Significado. Orientações Educativas em Família. 7ed. São Paulo: Paulinas, 2009.

MOSER, Antônio. O enigma da Esfinge. A sexualidade. Petrópolis: Vozes, 2001.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BLANK, Christiane E. Construir o matrimônio na pós-modernidade. Novas estratégias construtivas e interativas para a convivência matrimonial. São Paulo: Paulus, 2006.

DURAND, Guy. Sexualidade e fé. Síntese de Teologia Moral. São Paulo: Loyola, 1989.

LEERS, Bernardino; TRASFERETTI, Antônio. Homossexuais e ética cristã. Campinas: Átomo, 2002.

PAULO VI. Carta Encíclica Humanae Vitae sobre a regulamentação da natalidade. São Paulo: Paulinas, 1968.

VIDAL, Marciano. Moral do matrimônio. Petrópolis: Vozes, 1992.

Carga horária: 60h
Ementa: Conceituação de História da Igreja e sua metodologia. Relação entre a Igreja e Império Romano. Personalidades, eventos e a situação socioeconômica do nascimento da Igreja até o surgimento dos estados pontifícios. A evolução litúrgico-sacramental e institucional da Igreja. Os escritores eclesiásticos. Os Concílios Ecumênicos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

DREHER, Martin. A Igreja no Império Romano. São Leopoldo: Sinodal, 1993

MATOS, Henrique. Introdução à História da Igreja I-II. Belo Horizonte: O Lutador, 1986.

PIERINI, Franco. Curso de História da Igreja I-II. São Paulo: Paulus, 1998.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

DANIELOU, Jean; MARROU, Henry. Nova História da Igreja. Petrópolis: Vozes, 1966. V.1

DI BERARDINO, A.(org.) Dicionário Patrístico e de Antiguidade Cristã. Rio de Janeiro: Vozes: 2002.

FILORAMO, Giovanni; RODA, Sérgio. Cristianismo e Sociedade Antiga. São Paulo: Paulus, 1997.

HOORNAERT, Eduardo. A Memória do Povo Cristão: uma história da igreja nos três primeiros séculos. Petrópolis: Vozes, 1986.

VEYNE, Paul. História da Vida privada: do Império Romano ao ano mil. 7 ed. São Paulo: Cia das Letras, 1992.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Contexto geográfico e histórico sócio-político-econômico-ideológico, da Palestina no tempo de Jesus e das primeiras comunidades cristãs. Grupos religiosos e políticos, movimentos populares e expectativas messiânicas. História das Formas, da Redação e da interpretação dos Evangelhos. Lugar de Jesus de Nazaré e das comunidades cristãs nascentes nos evangelhos: Um Evangelho em quatro evangelhos. Questão sinótica. Visão de conjunto e chaves de leitura para cada Evangelho: Marcos, Mateus, Lucas. Considerações metodológicas: exegese – hermenêutica e principais óticas e perspectivas de leitura bíblica emergentes hoje. Exercícios de exegese e a hermenêutica de perícopes e temas centrais de cada evangelho, com análises comparativas e sinóticas.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BARBAGLIO, Giuseppe; FABRIS, Rinaldo; MAGGIONI, Bruno. Os Evangelhos (I) São Paulo: Loyola, 1990.

FABRIS, Rinaldo; MAGGIONI, Bruno. Os Evangelhos (II). São Paulo: Loyola, 1992.

THEISEN, Gerd. O Novo Testamento. Petrópolis, Vozes, 2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CNBB. Hoje a salvação entra nesta casa: O Evangelho de Lucas. São Paulo: Paulinas, 1997.

CNBB. Caminhamos na Estrada de Jesus: O Evangelho de Marcos. São Paulo: Paulinas, 1996.

CNBB. Ele está no meio de nós: O Semeador do Reino – Evangelho segundo Mateus. São Paulo: Paulinas, 1998.

DATLER, Frederico. Os evangelhos da infância de Jesus: segundo Lucas e Mateus. São Paulo: Paulinas, 1981.

LOHSE, Eduard. O contexto e ambiente do Novo Testamento. São Paulo: Paulinas, 2000.

Carga horária: 60h
 

Ementa: As diversas expressões da fé em Jesus Cristo no contexto popular e no magistério da Igreja latino-americana. O Jesus histórico: seu projeto, sua ação e sua pregação. Paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. A aceitação pela comunidade de Jesus Cristo como o Salvador. História e construção do dogma cristológico. O dogma da maternidade divina de Maria e sua significação para a Cristologia.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BOFF, Leonardo. Jesus Cristo Libertador. Ensaio de cristologia crítica para o nosso tempo. Petrópolis: Vozes, 1972.

SOBRINO, Jon. Jesus, o Libertador. A história de Jesus de Nazaré. São Paulo: Vozes, 1994.

SOBRINO, Jon. A fé em Jesus Cristo. Petrópolis: Vozes, 2002

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

DUQUOC, Christian. Cristologia: Ensaio dogmático. O homem Jesus. São Paulo: Loyola, 1968

DUQUOC, Christian. Cristologia: Ensaio dogmático. O Messias. São Paulo: Loyola, 1972

FERRARO, Benedito. Cristologia em tempo de ídolos e sacrifícios. São Paulo: Paulinas, 1993.

PAGOLA, José Antônio. Jesus. Aproximação histórica. Petrópolis: Vozes, 2010.

TORRES QUEIRUGA, A. Repensar a Cristologia: sondagens para um novo paradigma. São Paulo: Paulinas, 1998.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Teologia, moral e ciência. A Bioética enquanto ciência interdisciplinar, sua origem, sua história, seu método, seus princípios e suas características. O valor da vida, seu início, sua qualidade e seu morrer. A vida humana como valor e direito fundamental de toda pessoa e sua dignidade na reprodução. O Magistério católico. O cuidado com a vida: a qualidade de vida, a saúde integral e suas ameaças. A vida no seu ocaso: a morte e o morrer.


BIBLIOGRAFIA BASICA

JUNGES, José Roque. Bioética: perspectivas e desafios. São Leopoldo: Unisinos, 1999.

MOSER, Antônio; SOARES André Marcelo M. Bioética: do consenso ao bom senso. Petrópolis: Vozes, 2006.

PESSINI, Léo. Bioética: um grito por dignidade de viver. São Paulo: Paulinas, São. Camilo, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BOFF, Leonardo. Virtudes para outro mundo possível – I, II, III. Petrópolis: Vozes, 2005.

CNBB. Questões de Bioética. Estudos da CNBB 98. Brasília: CNBB, 2010.

MOSER, Antônio. Teologia Moral: Questões Vitais. Petrópolis: Vozes, 2004.

PESSINI, Léo. BARCHIFONTAINE, Christian de Paul. Problemas atuais de Bioética. 8ed. São Paulo: Loyola, 2007.

SGRECCIA, Elio. Manual de Bioética I. Fundamentos e Ética Biomédica. São Paulo: Loyola, 1996.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Conceituação da patrologia e patrística. Visão histórica, temática e teológica dos principais padres. Diálogo entre a experiência eclesial do cristianismo primitivo e a vivência atual. Leitura e estudo de textos do período, cristãos ou não, para o conhecimento e a valorização da produção dos primeiros séculos da era cristã.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

DROBNER, Hubert R. Manual de Patrologia. Petrópolis: Vozes, 2003.

FIGUEIREDO, Fernando. Curso de Teologia Patrística. Petrópolis: Vozes, 1983-1990. Vol. I – III.

HAMMAN, Adalbert-G. Os Padres da Igreja. São Paulo: Paulinas, 1980

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

DI BERARDINO, Angelo (org.). Dicionário Patrístico e de Antiguidade Cristã. Rio de Janeiro: Vozes: 2002.

LEURIDAN, J. Por que a igreja critica os ricos: a justiça e a exploração segundo a tradição cristã. São Paulo: Paulinas, 1982.

MORESCHINI, Claudio; NORELLI, Enrico. História da Literatura Cristã Antiga Grega e Latina. São Paulo: Loyola, 2000. 3 vols.

PADOVESE, Luigi. Introdução à Teologia Patrística. São Paulo: Loyola, 1999.

QUASTEN, Iohannes. Patrología. Madrid: BAC, 1962-1981. Vol. I – III.

Carga horária: 60h
 
Ementa: Contexto histórico da terceira geração cristã. Características, conflitos e mística das comunidades do Discípulo Amado, como proposta alternativa à Igreja Apostólica: uma Igreja que acredita mais no amor do que na instituição. Presença e participação ativa de mulheres nas comunidades do Discípulo Amado. Visão geral da literatura joanina: Evangelho e três Cartas. Simbologia, linguagem, pensamento social e teológico presentes nos escritos joaninos. Chaves de leitura e visão global do Evangelho e das Cartas Joaninas, na perspectiva dos eixos temáticos do Amor e da Trindade. Exercícios de exegese e hermenêutica de perícopes seletas e temas centrais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BROWN. Raymond E. A comunidade do Discípulo Amado. São Paulo: Paulinas, 1984.

MATEOS, Juan; BARRETO, Juan. O Evangelho de São João. São Paulo: Paulinas, 1989.

MORGEN, Michèle. As Epístolas de João. São Paulo: Paulinas, 1991.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BORTOLINI, José. Como ler o Evangelho de João: o caminho da vida. São Paulo: Paulus, 1994.

DODD, Charles H. A interpretação do Quarto Evangelho. São Paulo: Paulinas, 1977.

TUÑI VANCELLS, José. O testemunho do Evangelho de João. Petrópolis: Vozes, 1989.

VVAA. Os escritos de São João e a Epístola aos Hebreus. São Paulo: Paulinas, 1988.

KONINGS, Johan. Evangelho segundo João: Amor e Fidelidade. Petrópolis: Vozes, 2000.

Carga horária: 60h
 
Ementa: O problema de Deus na sociedade moderna. A identidade do Deus-cristão. A trindade de pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. A unidade em Deus. A formação do dogma. Tentativas atuais de repensar a afirmação trinitária. Significado atual das afirmações trinitárias.
Carga horária: 60h
 

Ementa: A história da Moral Social. As contribuições da Doutrina Social da Igreja. A Ética da Libertação. Os Direitos Humanos fundamentais. Critérios básicos da Moral Econômica. A dignidade do trabalho. A Política como “a arte do bem comum”: ciência, práxis e Ética. Democracia, desenvolvimento e globalização. A moral da violência, guerras e conflitos. A Ecologia. Os bens culturais e a Ética. Compreensão e análise crítica dos Meios de Comunicação Social. A família e as questões de gênero. A ética global.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANTONCICH Ricardo; SANS José M. M. Ensino Social da Igreja. Petrópolis: Vozes, 1986.

CALVEZ, Jean Yves. A Economia, o Homem, a Sociedade. O ensinamento social da Igreja. São Paulo: Loyola, 1995.

PONTIFICIO CONSELHO JUSTIÇA E PAZ. Compêndio da Doutrina Social da Igreja. 2ed. São Paulo: Paulinas, 2008.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CAMACHOLARANA, Ildefonso et alii. Práxis Cristã III. Opção pela justiça e pela liberdade. São Paulo: Paulinas, 1988.

CAMACHO, Ildefonso. Doutrina Social da Igreja: abordagem histórica. São Paulo: Loyola, 1995.

KÜNG, Hans. Projeto de Ética Mundial. São Paulo: Paulinas, 1992.

LEÃO XIII. Rerum Novarum: sobre a condição dos Operários. 3ed. São Paulo: Paulinas, 1974.

PAPA FRANCISCO. Laudato Si: Sobre o cuidado da casa comum. São Paulo: Paulinas, 2015.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Conceituação de Idade Média. O Espírito de cristandade. A Igreja frente ao poder civil. As feridas da Igreja. A Reforma Gregoriana. Movimentos heréticos e Ordens Mendicantes. O cristianismo e os desafios da modernidade. O Papado em Avinhão. O Cisma Ocidental. O Conciliarismo. Humanismo e Renascimento. A Reforma Protestante. O Concílio de Trento e a Reforma Católica.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALBERIGO, Giuseppe (Org.). História dos Concílios Ecumênicos. São Paulo: Paulus, 1995.

DREHER, Martin. A Igreja no mundo medieval (vol. II). São Leopoldo: Sinodal, 1994.

ZAGHENI, Guido. A Idade Moderna. Curso de História da Igreja (vol. III). São Paulo: Paulus, 1999.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BESEN, José A. História da Igreja. Da Idade Apostólica aos nossos tempos. Florianópolis: Mundo e Missão, 2007.

COMBY, Jean. Para ler a História da Igreja. Das Origens ao século XV. São Paulo: Loyola, 1993.

MARTINA, Giácomo. A Igreja de Lutero a nossos dias: o período da Reforma. São Paulo: Loyola, 1995. Vol. I.

MATOS, Henrique C. J. Introdução à História da Igreja. Belo Horizonte: O Lutador, 1997. Vol. I.

PIERINI, Franco. A Idade Média. Curso de História da igreja. São Paulo: Paulus, 1998. Vol. II.

Carga horária: 75h
 

Ementa: O exercício da prática pastoral em uma situação concreta. Análise da realidade onde a prática pastoral é exercida. Reflexão teológica sobre a realidade. Os fundamentos teóricos da pastoral a ser desenvolvida. Plano de intervenção. Relatório da prática pastoral.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BOFF, Clodovis. Teologia e Prática: teologia do político e suas mediações. 3ed. Petrópolis: Vozes, 1993.

BRIGHENTI, Agenor. A pastoral dá o que pensar: a inteligência da prática transformadora da fé, São Paulo/Valencia: Paulinas/Siquem, 2006.

CELAM. Documento de Aparecida. Brasília/São Paulo: CNBB/Paulus/Paulinas, 2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BRIGHENTI, Agenor. Reconstruindo a esperança: como planejar a ação da Igreja em tempos de mudança. 2ed. São Paulo: Paulus, 2000.

ESTEF. Método Teológico-Pastoral. Mediação Sócio-Analítica, Mediação hermenêutica e Mediação Prática. Instrumental dos Estágios de Pastoral, 6ed. Porto Alegre: ESTEF, 2007.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Contexto sócio-histórico-religioso do surgimento das primeiras comunidades cristãs. A passagem do cristianismo para o mundo helenístico. A origem, a forma literária e a teologia do livro dos Atos dos Apóstolos. A origem, a forma literária e a teologia das Cartas Paulinas.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MESTERS, Carlos; OROFINO, Francisco. Atos dos Apóstolos. São Paulo: Paulus, 2002

FABRIS, Rinaldo. Os Atos dos Apóstolos. São Paulo: Loyola, 1991.

BARBAGLIO, Giuseppe; FABRIS, Rinaldo. As cartas de Paulo. São Paulo: Loyola, 1989. 3Vols

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

COMBLIN, José. Atos dos apóstolos. Petrópolis: Vozes, 1989. 2 Vols.

COMBLIN, José. Paulo, apóstolo de Jesus Cristo. Petrópolis: Vozes, 1993.

DUNN, James. A Teologia do apóstolo Paulo. São Paulo: Paulus, 2003

O’CONNOR, Jerome Murphy. Paulo, biografia crítica. São Paulo: Loyola, 2000.

RICHARD, Pablo. O Movimento de Jesus depois da Ressurreição: uma interpretação libertadora dos Atos dos Apóstolos. São Paulo: Paulinas, 1999.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Os sujeitos na e da Igreja. “Credo in Deum, Credo in Ecclesiam”. A historicidade da Igreja. As sombras e luzes na Igreja contemporânea. Eclesiogênese: Jesus Cristo – Reino de Deus – Igreja. O fato Igreja no Novo Testamento e na história da eclesiologia. Aparecimento do tratado “De Ecclesia” e sua evolução, especialmente no Concílio Vaticano II. A justificação da Igreja e seu mistério. A fonte trinitária identificante da Igreja: o povo de Deus, Corpo de Cristo e Templo do Espírito Santo. As notas da Igreja: una, santa, católica e apostólica. A Igreja: Comunhão e Instituição. Os ministérios eclesiais. Maria mãe, modelo e membro eminente da Igreja.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

DE LA FUENTE, Eloy Bueno. Eclesiología. Madrid: BAC, 2001.

KUNG, Hans. A Igreja. Lisboa: Moraes, 1970. 2 Vols.

PIÉ-NINOT, Salvador. Introdução à eclesiologia. São Paulo: Loyola, 1998.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BOFF, Leonardo. O rosto materno de Deus. Petrópolis: Vozes, 1986.

BOFF, Leonardo. O caminhar da Igreja com os oprimidos. Petrópolis: Vozes, 1988.

CALIMAN, Cleto. Teologia e devoção mariana no Brasil. São Paulo: Paulinas, 1989.

CODINA, Victor. Para compreender a eclesiologia a partir da América Latina. São Paulo: Paulinas, 1993.

MUÑOZ, Ronaldo. A Igreja no Povo. Petrópolis: Vozes, 1985.

Carga horária: 60h
 
Ementa: Importância do conhecimento do Direito Canônico da Igreja. Aspectos antropológicos e filosóficos do Direito Canônico como experiência humana. Estrutura do Código e sua situação histórica. Fundamentação dos princípios gerais contidos no primeiro livro, como base jurídica da legislação da Igreja. A práxis jurídica nos demais livros. Lei, costume, atos jurídicos, dispensa, decretos. A tutela dos direitos e deveres do povo de Deus na Igreja. O múnus de santificar a Igreja: sacramentos e suas implicações pastorais, especialmente o matrimônio, penitência, batismo e eucaristia. Condição Canônica da pessoa física e jurídica na Igreja. Poder de regime. Ofício eclesiástico e provisão dos clérigos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CNBB. Código de Direito Canônico. São Paulo: Loyola, 1983.

FELICIANI, Giorgio. As bases do direito na Igreja: comentário ao Código de Direito Canônico. São Paulo: Paulinas, 1994.

GRINGS, Dadeus. A Ortopráxis da Igreja. Aparecida: Santuário, 1986.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

KOWALIK, Adam. Direito canônico familiar: perspectivas. Santa Maria: Biblos, 2003.

GRUSZYNSKI, Alexandre H. Direito Eclesiástico. Porto Alegre: Síntese, 1999.

CIFUENTES LLANO, Rafael. Novo Direito Matrimonial Canônico. Rio de Janeiro: Marques Saraiva, 1983.

HORTAL, Jesus. Casamentos que nunca deveriam ter existido. Rio de Janeiro: Saraiva, 1988.

GONÇALVES, Mário L. M. Introdução ao Direito Canônico. Petrópolis: Vozes, 2004.

Carga horária: 60h
 

Ementa: A Igreja na Idade Contemporânea. Entre Absolutismo e Iluminismo. Movimentos teológicos e políticos. A Igreja e a Revolução Francesa. A Restauração. O despertar missionário. Concílio Vaticano I. A Igreja e a questão social. O Modernismo. A Igreja e os regimes políticos na primeira metade do século XX. Os Papas do século XX. O Concílio Vaticano II.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MARTINA, Giácomo. História da Igreja de Lutero a nossos dias. A era contemporânea. São Paulo: Loyola, 1997. (Vol. IV)

ZAGHENI Guido. A Idade Contemporânea. Curso de História da Igreja. São Paulo: Paulus, 1999.

ROGIER, L.J.; ROGER, Aubert; KNOWLES, M. D. (Dirs.). Nova História da Igreja. Século das Luzes, Revoluções, Restaurações. Petrópolis: Vozes, 1984. Vol. IV

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BIHLMEYER, K. e TUECHLE, H. História da Igreja. São Paulo: Paulinas, 1964. Vol. III.

COMBY, Jean. Para ler a História da Igreja. Do século XV ao XX. São Paulo: Loyola, 1993.

DENZINGER, Enrique. El Magisterio de la Iglesia. Barcelona: Herder, 1953.

JEDIN, Henry. Manual de Historia de la Iglesia. Barcelona: Herder, 1978. Vol. VII.

MATOS, Henrique Cristiano. Caminhando pela História da Igreja. Belo Horizonte: O Lutador, 1995. Vol. III

Carga horária: 75h
 

Ementa: O exercício da prática pastoral em uma situação concreta. Análise da realidade onde a prática pastoral é exercida. Reflexão teológica sobre a realidade. Os fundamentos teóricos da pastoral a ser desenvolvida. Plano de intervenção. Relatório da prática pastoral.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BOFF, Clodovis. Teologia e Prática: teologia do político e suas mediações. 3ed. Petrópolis: Vozes, 1993.

BRIGHENTI, Agenor. A Pastoral Dá o que Pensar: a inteligência da prática transformadora da fé, São Paulo/Valencia: Paulinas/Siquem, 2006.

CELAM. Documento de Aparecida. Brasília/ São Paulo: CNBB/Paulus/Paulinas, 2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BRIGHENTI, Agenor. Reconstruindo a esperança: como planejar a ação da Igreja em tempos de mudança. 2ed. São Paulo: Paulus, 2000.

ESTEF. Método Teológico-Pastoral. Mediação Sócio-Analítica, Mediação hermenêutica e Mediação Prática. Instrumental dos Estágios de Pastoral, 6ed. Porto Alegre: ESTEF, 2007.

(A Bibliografia Complementar será completada segundo a prática a ser executada.)

Carga horária: 60h
 

Ementa: Contexto sócio-histórico-religioso das comunidades cristãs dos anos 70-80. Origem, estrutura e teologias das Cartas Pastorais, Católicas e Hebreus.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CARREZ, M. et all. As cartas de Paulo, Tiago, Pedro e Judas. São Paulo: Paulinas,1987

FABRIS, Rinaldo. As Cartas de Paulo III. São Paulo: Loyola, 1989

KÜMMEL, Werner Georg. Introdução ao Novo Testamento. São Paulo: Paulinas,1982

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BROWN, Raymond. A comunidade do discípulo amado. São Paulo: Paulinas, 1984

ELLIOT, John. Um lar para quem não tem casa – Interpretação sociológica da primeira carta de Pedro. São Paulo: Paulinas, 1985.

VANHOYE, A. A mensagem da Epístola aos Hebreus. Em Cadernos Bíblicos n.21 São Paulo: Paulinas, 1983.

VVAA. Hebreus: guardar a esperança até o fim. In: Estudos Bíblicos n.34. Petrópolis: Vozes, 1992.

VVAA. Cartas Pastorais e Cartas Gerais. São Paulo: Paulus, 2001

Carga horária: 60h
 

Ementa: Ecumenismo, diálogo inter-religioso e macro-ecumenismo. Os fundamentos doutrinais da atividade ecumênica. A história do ecumenismo. O estado atual da busca da unidade. Objetivo e método do ecumenismo e diversas formas de união e de colaboração. O aspecto “institucional” e a vida atual das diferentes comunidades cristãs. O ecumenismo espiritual e o significado da oração pela unidade.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CNBB. O que é ecumenismo? Uma ajuda para trabalhar a exigência do diálogo. São Paulo: Paulinas, 1997.

SANTA ANA, Júlio H. de. Ecumenismo e Libertação. Petrópolis: Vozes, 1987

Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. Diretório para aplicação dos princípios e normas sobre ecumenismo. Petrópolis: Vozes, 1994

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BARROS, Marcelo de. O sonho da paz: a unidade nas diferenças: ecumenismo religioso e o diálogo entre os povos. Petrópolis: Vozes, 1996.

KUNG, Hans. Teologia a caminho: fundamentação para o diálogo ecumênico. São Paulo: Paulinas, 1999.

BIZON, José; DARIVA, Noemi; DRUBI, Rodrigo (orgs.). Ecumenismo: 40 anos do decreto Unitatis redintegratio, 1964-2004. São Paulo: Paulinas, 2004.

CNBB. A Igreja Católica diante do pluralismo religioso no Brasil. São Paulo: Paulinas, 1991.

BRAKEMEIER, Gottfried. Preservando a unidade do espírito no vínculo da paz: um curso de ecumenismo. São Paulo: ASTE, 2004.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Elementos de contextualização histórica da Igreja no Brasil, na América Latina e no Caribe. História da Igreja a partir da América Latina no contexto mundial destacando a periodização, temas, documentos, fatos marcantes, biografias, textos e contextos.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

DREHER, Martin N. A Igreja latino-americana no contexto mundial. São Leopoldo: Sinodal, 1999. Coleção História da Igreja, v. 4

DUSSEL, E. (org) Historia Liberationis: 500 anos de história da Igreja na América Latina. São Paulo: Paulinas, 1992.

MATOS, Henrique Cristiano José. Nossa História: 500 anos de presença da Igreja Católica No Brasil – Tomos I-III. São Paulo, Paulinas, 2001-2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

HAUCK, João F. (org). História da Igreja no Brasil: ensaio de interpretação a partir do povo. Segunda época. Petrópolis: Vozes, 1985.

HOORNAERT. Eduardo. História do Cristianismo na América Latina e no Caribe. São Paulo: Paulus, 1994.

HOORNAERT, Eduardo e outros. História da Igreja no Brasil: ensaio de interpretação a partir do povo. Primeira época. Petrópolis: Vozes, 1977.

LAMPE, Armando. História do cristianismo no Caribe. Petrópolis/São Paulo: CEHILA/Vozes, 1995.

PRIEN, Hans J. La Historia del Cristianismo en America Latina. Salamanca: Sígueme/São Leopoldo: Sinodal, 1985.

Carga horária: 60h
 

Ementa: A sacramentalidade. Pressupostos históricos e antropológicos dos sacramentos. As dimensões do septenário sacramental. Fundamentos bíblicos e sistematização teológica dos sete sacramentos. Os sacramentais.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BECKHÄUSER, Alberto. Os sacramentos na vida diária. Petrópolis: Vozes, 1998.

BOFF, Leonardo. Os sacramentos da vida e a vida dos sacramentos. Petrópolis: Vozes, 1982.

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. São Paulo: Paulinas/Vozes/Loyola, 1993.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AA. VV. Os sacramentos, teologia e história da salvação, São Paulo: Paulinas, 1989.

ALDAZÁBAL, José. A Eucaristia, Petrópolis: Vozes, 2002.

BOROBIO, Dionísio (org), Sacramentos. São Paulo: Loyola, 1993.

MARTIMORT, A. G., Os Sacramentos. Petrópolis: Vozes, 1991.

TABORDA, Francisco. Sacramentos: práxis e festa, Petrópolis: Vozes, 1988.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Exegese de textos seletos do livro do Gênesis. Os temas de Gn 1-11 e a caminhada dos patriarcas e matriarcas em Gn 12-50. Exegese do texto do livro do Apocalipse. A origem da literatura apocalíptica. A linguagem simbólica, a finalidade e o contexto histórico do livro do Apocalipse.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

IBÁÑEZ ARANA, A. Para compreender o livro do Gênesis. São Paulo: Paulinas, 2003.

BORTOLINI, José. Como ler O Apocalipse. Resistir e Denunciar. São Paulo: Paulus, 1994.

HOWARD-BROOK, W. e GWYTHER, A. Desmascarando o Imperialismo. Interpretação do Apocalipse ontem e hoje. São Paulo: Paulus, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CORSINI, Eugenio. O Apocalipse de São João. São Paulo: Paulinas, 1984.

KRAUS, HEINRICH; KUCHLER, Max. As origens. Um estudo de Gênesis 1-1. São Paulo: Paulinas, 2007.

MESTERS, Carlos. Paraíso Terrestre: Saudade ou Esperança. Petrópolis: Vozes, 1971.

SCHWANTES, Milton. A Família de Sara e Abraão. Petrópolis: Vozes, 1986.

SCHWANTES, Milton. Projetos de Esperança – Meditações sobre o Gênesis. Petrópolis: Vozes, 1989.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Introdução geral à antropologia teológica e suas subdivisões. Desafios provenientes de antropologia contemporânea e da ecologia. Horizontes e chaves de leitura de uma antropologia bíblica e cristã. Criação e destino comum do universo e da criatura humana. Relação entre criação, história e escatologia. Interpretações e reinterpretações bíblicas e contemporâneas dos tratados sobre a morte, o juízo, o purgatório, a ressurreição dos mortos, o céu e o inferno. Visão sistemática e questões abertas.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BLANK, Renold. Escatologia da Pessoa. Vida, morte e ressurreição. São Paulo: Paulus, 2000.

BOFF, Leonardo. Vida para além da morte. Petrópolis: Vozes, 1973.

LIBANIO, João B.; BINGEMER, Maria C. Escatologia cristã. Petrópolis: Vozes, 1985.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BLANK, Renold. Nossa vida tem futuro. São Paulo: Paulus, 1991.

MOLTMANN Jürgen, Deus na criação. Doutrina ecológica sobre a criação. Petrópolis: Vozes, 1993.

MOLTMANN, Jurgen. A vinda de Deus. Escatologia cristã. São Leopoldo: Unisinos, 2003.

RUIZ DE LA PEÑA, Juan Luis. La pascua de la creación. Escatologia. Madrid: BAC, 2000

SUSIN, Luiz Carlos. Assim na terra como no céu. Brevilóquio sobre escatologia e criação. Petrópolis: Vozes, 1995.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Conceitos básicos e lugar na teologia. Mística e Espiritualidade. Raízes antropológicas da Espiritualidade. História da espiritualidade cristã na Igreja. Identidade e Fontes da Espiritualidade. A espiritualidade bíblica. A pessoa e espiritualidade de Jesus. As dimensões da espiritualidade: (mística, ascética e prática/engajamentos). As características da espiritualidade cristã: (comunitária, libertadora, integral e integradora, pascal/martirial, ecumênica…). Caminhos da espiritualidade e Experiência de Deus. A espiritualidade no cotidiano e a oração. A espiritualidade como projeto global de vida. Espiritualidade e Missão. A Leitura Orante da Bíblia. Espiritualidades atuais. A espiritualidade indígena, a africana e a oriental.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

COMBLIN, José. O Caminho: ensaio sobre o seguimento de JesusSão Paulo: Paulus, 2004.

GALILEA, Segundo. O caminho da espiritualidade. Visão atual da renovação cristã. São Paulo: Paulinas, 1984.

GUTIEREZ, Gustavo. Beber no próprio poço. Itinerário espiritual de um povo. 3ed. Petrópolis: Vozes, 1985.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BETTO, Frei; BOFF, Leonardo. Mística e Espiritualidade. Petrópolis: Vozes, 2010.

CASALDALIGA, Pedro; VIGIL, José M. Espiritualidade da libertação. Petrópolis: Vozes, 1993.

CATÃO, Francisco. Espiritualidade Cristã. Teologia Espiritual. São Paulo: Paulinas, 2009.

GOFFI, Tullo; SECONDIN, Bruno. Problemas e perspectivas de espiritualidade. São Paulo: Loyola, 1992.

SECONDIN, Bruno; GOFFI, Tullo. Curso de Espiritualidade. Experiência, sistemática, projeções. São Paulo: Paulinas, 1994.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Origens, histórico e evolução das teologias feministas; Epistemologia, temas e metodologias das teologias feministas; teologia feminista na América Latina e questão de gênero, etnia e classe; leituras e hermenêuticas bíblicas feministas e de gênero; questões emergentes e provocações para a teologia sob a ótica feminista e de gênero; teologia feminista e implicações eclesiológicas e pastorais.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FIORENZA, Elisabeth Schüssler. As origens cristãs a partir da Mulher: uma nova hermenêutica. São Paulo: Paulinas, 1992.

JOHNSON, Elizabeth A. Aquela que é: o mistério de Deus no trabalho teológico feminino. Petrópolis: Vozes, 1995.

SOTER (Org.) Gênero e Teologia: Interpelações e Perspectivas. São Paulo: Paulinas, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FIORENZA, Elisabeth Schüssler. Discipulado de Iguais: Uma ekklesia-logia feminista crítica da libertação. Petrópolis: Vozes, 1995.

GANGE, Françoise. Jesus e as mulheres. Petrópolis: Vozes, 2007.

GEBARA, Ivone. Teologia Ecofeminista: Ensaio para repensar ao Conhecimento e a ReligiãoSão Paulo: Olho dágua, 1997.

MUSSKOPF, André e STRÖHER, Marga (Org.) Corporeidade, Etnia e Masculinidade: Reflexões do I Congresso Latino-Americano de Gênero e Religião. São Leopoldo: EST/Sinodal, 2005.

RUETHER. Rosemary R. Sexismo e Religião. São Leopoldo: EST/ Sinodal, 1993.

Carga horária: 120h
 

Ementa: Desenvolvimento de um trabalho monográfico. Definição do tema. Elaboração do projeto. Pesquisa e redação. Apresentação pública da pesquisa.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ECO, Umberto. Como se faz uma tese, 2ed. São Paulo: Perspectiva, 1985.

LIBÂNIO, João Batista. Introdução à Vida Intelectual. 2ed. São Paulo: Loyola, 2001.

ZAMPIERI, Gilmar. Normas técnicas para a apresentação de trabalhos científicos. 2ed. Porto Alegre: ESTEF, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

(Conforme o tema escolhido.)

Carga horária: 60h
 

Ementa: Introdução aos contextos da Literatura Sapiencial na Bíblia. Estudo do contexto sócio-histórico-religioso de Provérbios, Salmos, Eclesiastes, Eclesiástico, Sabedoria, Jó, Jonas, Rute, Judite, Cântico dos Cânticos, Tobias. Origem, estrutura e teologia dos livros sapienciais.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CERESKO, Anthony R. A Sabedoria no Antigo Testamento. São Paulo: Paulus, 2004.

GERSTENBERGER, Erhard e SCHRAGE, Wolfgang. Por que sofrer? São Leopoldo: Sinodal: 1979.

ZENGER, Erich et al. Introdução ao Antigo Testamento. São Paulo, Loyola, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ANDERSON, Flora e GORGULHO, Gilberto. Os sábios na luta do povo. São Paulo: Paulus.1987.

CRB. Tua Palavra é Vida: Sabedoria e poesia do povo de Deus. São Paulo: Loyola, 1993.

ROSSI, Luís A. S. A falsa religião e a amizade enganadora. São Paulo: Paulus, 2005.

STORNIOLO, Ivo. Trabalho e Felicidade. O livro do Eclesiastes. São Paulo: Paulus. 2002.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Relação entre Teologia da Criação e Teologia da Redenção. Salvação através do Sacrifício, da Lei/Instituição, da Gnose/Ciência, da Técnica/tecnologia, do Mercado/Consumo. Salvação por graça na tradição bíblica do Antigo e do Novo Testamentos. História da Teologia da Graça. Estado atual da doutrina. Aportes e controvérsias desde o pluralismo religioso.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BOFF, Leonardo. Graça e Experiência Humana. Petrópolis: Vozes, 1998.

RUIZ DE LA PEÑA, Juan L. – O Dom de Deus: antropologia teológica. Petrópolis: Vozes, 1997.

RUIZ DE LA PEÑA, Juan L. Criação, Graça e Salvação. São Paulo, Loyola, 1998.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CAILLÉ, Alain. Antropologia do Dom. O Terceiro Paradigma. Petrópolis: Vozes, 2002.

COMBLIN, José. Gracia. In: ELLACURIA I. e SOBRINO J. Mysterium liberationis: conceptos fundamentales de la Teología de la LiberaciónMadrid: Trotta, 1990.

DECLARAÇÃO Conjunta Sobre a Doutrina aa Justificação. São Leopoldo/São Paulo/Brasília: Sinodal/Paulinas/Conic, 1999.

SUSIN, Luiz C. Espírito Santo e graça santificanteEm: HACKMANN Geraldo L. O Espírito Santo e a teologia hoje. Porto Alegre: Edipucrs, 1998.

TORRES QUEIRUGA, Andrés. Recuperar a salvação: Por uma interpretação libertadora da experiência cristã. São Paulo: Paulus, 1999.

Carga horária: 120h
 

Ementa: Síntese teológica: definição e importância. As grandes sínteses na história da teologia. A escolha do princípio formal na elaboração da síntese. A articulação das diversas áreas de conhecimento teológico a partir de um princípio formal. Elaboração da síntese e apresentação pública.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALSZEGUI, Zoltan; FLICK, Maurice. Como se faz teologia. São Paulo: Paulinas, 1979.

GEFFRÉ, Claude. Como fazer teologia hoje: hermenêutica teológica. São Paulo: Paulinas,1989.

CATECISMO da Igreja Católica. São Paulo: Loyola, 1999.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

(A Bibliografia Complementar será escolhida em acordo ao princípio formal da síntese.)

Carga horária: 60h
 

Ementa: Breve introdução geral. A importância da língua hebraica para o estudo da Bíblia. A parte fonética, as consoantes e as vogais. As principais regras da língua hebraica. Tradução de textos.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Auvray,Paul. Iniciação ao Hebraico Bíblico. Petrópolis: Vozes, 1997.

Kelly, K. Hebraico Bíblico: Uma gramática introdutória. São Leopoldo: Sinodal, 1998.

Mendes, P. Noções de Hebraico Bíblico. São Paulo: Vida Nova, 1981.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

Hollemberg – Budde. Gramática Elementar da Língua Hebraica. São Leopoldo: Sinodal, 1988.

HARRIS, R. L. et allii. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 1998.

LAMBDIN, Tomas. Gramática do Hebraico Bíblico. São Paulo: Herder, 2003

MANUAL de Conversação em Hebraico com transliteração. São Paulo: Sefer, 1992.

KIRTS, Nelson. Dicionário Hebraico-Português; Aramaico-Português. Petrópolis: Vozes, 2004.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Introdução geral ao grego bíblico. Noções de gramática. Aplicação aos textos do Novo Testamento. Grafia, acentuação e formação fundamental do grego (koinê). Tradução de textos.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

GUSSO, Antonio Renato. Gramática instrumental do Grego: do alfabeto à tradução a partir do Novo Testamento – passo a passo. São Paulo: Vida Nova, 2010.

MACHEN, J. Greshan. Grego do Novo Testamento para Iniciantes. São Paulo: Hagnos, 2004.

SWETNAM, James. Gramática do Grego do Novo Testamento. São Paulo: Paulus, 2002.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

MALZONI, Cláudio Vianei. 25 lições de iniciação ao grego do Novo Testamento. São Paulo: Paulinas, 2010.

SCHOLZ, Vilson. Novo Testamento Interlinear Grego – Português. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 2004.

REGA, L. Stelio; BERGMANN, L. Noções do Grego Bíblico – Gramática fundamental. São Paulo: Vida Nova, 2003.

TAYLOR, W.C. Introdução ao estudo do Novo Testamento grego – Gramática. Rio de Janeiro: Junta de Educação Religiosa, 1990.

RUSCONI, Carlo. Dicionário do Grego do Novo Testamento. São Paulo: Paulus, 2003.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Contexto social, político, econômico e eclesial-religioso dos séculos XII e XIII. Francisco e Clara de Assis: vida, escritos e elementos centrais de sua proposta de vida e espiritualidade. História do desenvolvimento do movimento franciscano nos seus diversos ramos, masculinos e femininos. Pertinência da proposta francisclariana no contexto atual.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

Teixeira, Celso M. (Org.). Fontes Franciscanas e Clarianas. Petrópolis: Vozes-FFB, 2004.

BOFF, Leonardo. São Francisco de Assis, ternura a vigor. Petrópolis: Vozes, 1982.

FLOOD, David. Frei Francisco e o Movimento Franciscano. Petrópolis: Vozes,1986.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BORMIDA, Jerônimo. A não-propriedade: uma proposta dos franciscanos do século XIV. Porto Alegre: EST, 1997.

IRIARTE, Lázaro. História Franciscana. Valencia: Editorial Asís, 1979.

MANSELLI, Raoul. São Francisco. Petrópolis: Vozes, 1992.

ROTZETTER, Anton. Clara de Assis: a primeira mulher franciscana. Petrópolis: Vozes, 1994.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Visão panorâmica da Psicologia da Religião, seus pressupostos antropológicos e filosóficos. Etapas do desenvolvimento humano e religioso. Experiência religiosa. Psicologia coletiva e movimentos religiosos. Necessidades do ser humano e desejo da Transcendência, Formação de símbolos como atividade básica da autoconsciência. Símbolos corporais e símbolos sociais. Tipos de religiosidade.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ERIKSON, Erik H. O ciclo de vida completo. Porto Alegre: Artmed, 1998.

FOWLER, James W. Estágios da fé. São Leopoldo: Sinodal, 1992.

FRAAS, Hans Jürgen. A religiosidade humana. São Leopoldo: Sinodal, 1997.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ABERASTURY, Arminda et al. Adolescência e psicopatia. Porto Alegre, 1992.

DAUNIS, Roberto. Jovens – desenvolvimento e identidade. Troca de perspectiva na psicologia da educação. São Leopoldo: Sinodal/IEPG, 2000.

BLOS, Peter. Transição Adolescente. Porto Alegre: Artes Medicas, 1996.

BRANDÃO, Carlos R. Memória do Sagrado: estudos de religião e ritual. São Paulo: Paulinas, 1985.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Introdução ao estudo da religião a partir da perspectiva sociológica. Perspectivas teóricas. Sociologia das religiões como estudo da relação entre religião e sociedade. Elementos constitutivos dos sistemas religiosos. Vertentes religiosas importantes no Brasil atual: catolicismo, protestantismo, religiões afro-brasileiras. Outras expressões religiosas.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALVES, Rubem. O que é religião? São Paulo: Loyola, 1999.

LOWY, Michel. A Guerra dos Deuses: Religião e Política na America Latina. Petrópolis: Vozes, 2000.

GUERREIRO, Silas. Novos Movimentos Religiosos: o quadro brasileiro. São Paulo: Paulinas, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

MADURO, Otto. Religião e luta de classes. Petrópolis:Vozes. 1981.

FIORANO, Giovanni; PRANDI, Carlo. As ciências da Religião. São Paulo: Paulus, 1999.

PIAZZA, Waldomiro O. Introdução à Fenomenologia Religiosa. Petrópolis: Vozes,1976.

CRAWFORD, Robert. O que é religião? Petrópolis: Vozes, 2005.

TEIXEIRA, Faustino (Org). Sociologia da Religião: Enfoques teóricos. Petrópolis: Vozes, 2003.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Teologia em diálogo com a modernidade. Teologia e Hermenêutica. Teologia antropológica. Teologia Existencial. Teologia da cultura. Teologia da Esperança. Teologia da Libertação


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

GIBELLINI, Rosino. A Teologia do Século XX. São Paulo: Loyola, 1998.

MONDIN, Battista. Os Grandes Teólogos do Século Vinte. São Paulo: Paulinas, 1979. 2 Vols.

OLIVERIA, Manfredo Araújo de. Filosofia transcendental e religão: ensaio sobre filosofia da religião em Karl Rahner. São Paulo: Loyola, 1984.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

(Os textos da Bibliografia Complementar serão escolhidos conforme os autores a serem estudados.)

Carga horária: 60h
 

Ementa: Abordagem crítica do fenômeno religioso. Relação fé razão. Relação fé religião. Análise dos modelos teóricos de interpretação do fenômeno religioso. As grandes tradições religiosas.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALVES, Rubem. O que é religião? São Paulo: Loyola, 1999.

MARTELLI, Stefano. A Religião na sociedade pós-moderna. São Paulo: Paulinas. 1995.

OTTO, Rudolf. O sagrado: um estudo do elemento não-racional na ideia do divino e a sua relação com o racional. São Bernardo do Campo: Imprensa Metodista, 1985.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BENEDETTI, Luiz Roberto. Os santos nômades e o deus estabelecido: um estudo sobre religião e sociedade. São Paulo: Paulinas, 1984.

BITTENCOURT FILHO, José. Matriz religiosa brasileira: religiosidade e mudança social. Petrópolis: Vozes, 2003.

CALIMAN, Cleto. A sedução do sagrado: o fenômeno religioso na virada do milênio 2ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

ORO, Ari Pedro; STEIL, Carlos A. (orgs.). Globalização e religião. Petrópolis: Vozes, 1997.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. 8ed. São Paulo: Pioneira, 1994.

Carga horária: 60h
 

Ementa: A teologia como elaboração histórica. Questões que desafiam o pensar teológico nos tempos atuais. Principais tentativas de resposta às indagações da realidade. Leitura e análise de textos.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ANJOS, Márcio Fabris dos (Org.). Teologia e novos paradigmas. São Paulo: Loyola, 1998.

GEFFRÉ, Claude. Como fazer teologia hoje – Hermenêutica teológica. São Paulo: Paulinas, 1989.

LIBÂNIO, João B.; MURAD, Afonso. Introdução à teologia: perfil, enfoques, tarefas. São Paulo. Loyola, 1996.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

(A Bibliografia Complementar será escolhida segundo as temáticas a serem estudadas.)

Carga horária: 60h
 

Ementa: Celebração sacramental no marco de uma pastoral global. Iluminação bíblica, desenvolvimento histórico e litúrgico dos sacramentos. Ação ritual própria de cada um dos sete sacramentos e sua prática pastoral.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BECKÄUSER, Alberto. Os Sacramentos na vida diária. Petrópolis: Vozes, 1998.

CELAM, Os Sacramentos: sinais do mistério pascal. Manual de liturgia III. São Paulo: Paulus, 2005.

FOUREZ, Gerard. Os Sacramentos celebram a vida, Petrópolis. Vozes, 1984.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BOROBIO, Dionísio. Pastoral dos Sacramentos. Petrópolis: Vozes, 2000.

BOROBIO, Dionísio. Celebração da Igreja – Sacramentos. São Paulo: Ed. Loyola, 1993. Vol. 2.

BUYST, I. & FRANCISCO, M.J. O Mistério celebrado: memória e compromisso II. São Paulo: Siquem/Paulinas, 2004.

TAMOYO-ACOSTA, Juan-José. Os Sacramentos: liturgia do próximo. São Paulo: Paulus, 1998.

Carga horária: 60h
 

Ementa: O fazer teológico na Era Patrística e no Período Medieval. Principais correntes teológicas da Era Patrística e no Período Medieval. Principais autores. Leitura e análise de textos.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

FRANGIOTTI, Roque. História da Teologia II: período medieval. São Paulo: Paulinas, 1992.

GILBERT, Paul. Introdução à Teologia Medieval. São Paulo: Loyola, 1999.

PADOVESE, Luigi. Introdução à Teologia Patrística. São Paulo: Loyola, 1999.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

(A Bibliografia Complementar será conforme os autores e textos estudados.)

Carga horária: 60h
 

Ementa: A dimensão organizativa da ação pastoral. Formas de organização pastoral. Os Conselhos Pastorais e Administrativos. O exercício da liderança. Gerenciamento de pessoal. Gerenciamento de recursos materiais. A administração pastoral e as leis canônicas. A administração pastoral e as leis civis. Prática de Administração.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ALTOÉ, Adailton. Organização paroquial. Conselhos, equipes e serviços pastorais. Petrópolis: Vozes, 2007

FRITZEN, Silvino José. Relações humanas e interpessoais: Nas convivências grupais e comunitárias. 2ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

NOGUEIRA, Luiz Rogério. Administração paroquial: Procedimentos administrativos e financeiros para paróquias e capelas. Petrópolis: Vozes, 2005.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CNBB Regional Sul I. A coordenação pastoral nos centros urbanos. Petrópolis: Vozes, 1997.

GUASQUES, Jerônimo. Como organizar o dízimo: Experiências pastorais de um novo ardor missionário. 5ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

NOGUEIRA, Luiz Rogério. Secretaria paroquial: Manual prático. Petrópolis: Vozes, 2006.

PEREIRA, José Carlos. Assembleia paroquial: Roteiro de preparação e realização. Petrópolis: Vozes, 2008.

SANTOS VELOSO, Eurico. Orientações para os conselhos pastorais: Formação, organização e funcionamento. São Paulo: Paulus, 2002.

Carga horária: 60h
 

Ementa: O múnus de santificar e a comunhão eclesial. Exercício da hierarquia da Igreja. O sacramento do matrimônio, da confirmação e unção dos enfermos. Bens temporais. Exercícios práticos referentes aos processos de declaração de nulidade matrimonial. Igreja particular. Vida Consagrada na Igreja. O múnus de ensinar da Igreja. Outras questões específicas.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CNBB. Código de Direito Canônico. São Paulo: Loyola, 1983.

HORTAL, Jesus. Os sacramentos da Igreja na sua dimensão canônico-pastoral. São Paulo: Loyola, 1987.

SAMPEL, Edson Luiz. Questões de Direito Canônico. São Paulo: Paulinas, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

LLANO CIFUENTES, Rafael. Novo Direito Matrimonial Canônico. São Paulo: Loyola, 1990.

SALVADOR, Carlos Corral; URTEGA EMBIL, José Maria (dir.). Dicionário de Direito Canônico. São Paulo: Loyola, 1993.

GRINGS, Dadeus. A Ortopráxis da Igreja. Aparecida: Santuário, 1986.

Carga horária: 60h
 

Ementa: O fenômeno da comunicação humana: mecanismos sensoriais, psíquicos e inconscientes. A comunicação na Liturgia, palavra, sinais e gestos. A arte de celebrar. Fundamentos da prática da homilia. A arte de falar em público. A utilização dos meios de comunicação na ação pastoral.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CONGREGAÇÃO PARA O CULTO DIVINO E A DISCIPLINA DOS SACRAMENTOS. Diretório Homilético. Brasília: CNBB, 2015.

MATTELART, Armand; MATTELART, Michele. História das Teorias da Comunicação. São Paulo: Loyola, 2009.

SANTAELLA, Lucia. Linguagens Líquidas na Era na Mobilidade. São Paulo: Paulinas, 2009.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BARROS FILHO, Clóvis de; MARTINO, Luís Mauro Sá. O Habitus na Comunicação. São Paulo: Paulinas, 2003.

HOHLFELDT, Antonio; MARTINO, Luiz C.; FRANÇA, Vera Veiga. Teorias da Comunicação. Conceitos, Escolas e Tendências. São Paulo: Loyola, 2003.

DOWNING, John D.H., Midia Radical. Rebeldia nas comunicações e Movimentos Sociais. São Paulo: Senac, 2001

BARBOSA FILHO, André; CASTRO, Cosette; TAKASHI, Toma. Midias Digitais: Convergência tecnologia e inclusão social. São Paulo: Paulinas, 2005.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Identidade e Conteúdos da Catequese no conjunto da ação evangelizadora. Catequese de Iniciação. Catequese com crianças, com jovens e com adultos. Metodologia catequética. Fundamentos teológicos da missão cristã. Os diversos paradigmas missionários. Missão e inculturação. Missão e pluralismo religioso.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

CONGREGAÇÃO PARA O CLERO. Diretório Geral da Catequese. São Paulo: Paulinas, 1998.

CNBB. Diretório Nacional de Catequese. São Paulo: Paulinas, 2006.

SUESS, Paulo. Introdução à Teologia da Missão: convocar e enviar servos e testemunhas do Reino. Petrópolis: Vozes, 2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

AA.VV. O protagonismo dos leigos na evangelização. São Paulo: Paulinas, 1994.

BRIGHENTI, Agenor. A Igreja do futuro e o futuro da Igreja. São Paulo: Paulus, 2001.

CNBB. Catequese Renovada. Orientações e Conteúdo. São Paulo: Paulinas, 1983.

COMBLIN, José. Desafios aos cristãos do século XXI. São Paulo: Paulus, 2000.

PANAZZOLO, João. Missão para todos: Introdução à Missiologia. São Paulo: Paulus, 2006.

Carga horária: 60h
 

Ementa: Línguas de Sinais e minoria linguística; as diferentes línguas de sinais; status da língua de sinais no Brasil; cultura surda; organização linguística da LIBRAS para usos informais e cotidianos: vocabulário; morfologia, sintaxe e semântica; a expressão corporal como elemento linguístico.


BIBLIOGRAFIA BÁSICA

GESSER, Audrei. Libras? Que língua é essa? São Paulo: Parábola: 2009.

PIMENTA, N. e QUADROS, R. M. Curso de Libras I. (DVD) Rio de Janeiro: LSB Vídeo, 2006.

3. QUADROS, R. M.; KARNOPP, L. Estudos Linguísticos: a língua de sinais brasileira.

Porto Alegre: ArtMed, 2004.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

CAPOVILLA, F.; RAPHAEL, Walkíria Duarte. Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngue da Língua de Sinais. São Paulo: Imprensa Oficial, 2001.

Dicionário virtual de apoio: http://www.acessobrasil.org.br/libras/

Dicionário virtual de apoio: http://www.dicionariolibras.com.br/

Legislação Específica de Libras – MEC/SEESP – http://portal.mec.gov.br/seesp

PIMENTA, N. Números na língua de sinais brasileira (DVD). Rio de Janeiro: LSBVideo, 2009.

FICHA DE INSCRIÇÃO